R. C., jornalista de desportos natural de Galiza, fai um trabalho que me encanta. Quando transmite jogos, por exemplo. Nota-se que é alguém com paixom e vocaçom e tem um sotaque precioso, autêntico, infrequente nos meios de comunicaçom. Infelizmente boa parte da sua produçom profissional nom é em galego, ainda que o meio escrito ou radiofônico em que colabore tenha delegaçom em Galiza ou até seja galego. Nom sei em que medida usar o espanhol lhe vem imposto a esta persoa e em que medida é vontade, mas para a minha forma de ver que meios sediados aqui nom permitam ou nom convidem a esta persoa a fazer o seu labor na nossa língua é umha pena. Som essas pequenas imposições que pouco a pouco vam pintando um panorana monolíngue até para alguém com um falar tam lindo.