As histórias que contam os registros de migrantes (I)

Manuel Castiñeira (n. 1896), solteiro, bombeiro naval corunhês que trabalhava no porto de Nova Iorque, é chamado a filas polos EUA no final da I Guerra Mundial, ao que alega que seus pais dependem del.

Contemporâneo del é José Castiñeira (n. 1888), tamém bombeiro corunhês em NY, a onde chegara de Buenos Aires. Tem a esposa e três filhos morando na Corunha.

As histórias que contam os registros de migrantes (I)

Para solicitar a naturalizaçom, cousa que fai em 1933, quando levava treze anos de casado e coa família ainda na Corunha, tem que declarar que:

I will, before being admitted to citizenship, renounce forever all allegiance and fidelity to any foreign prince, potentate, state, or sovereignty, and particularly, by name, to the prince, potentate, state, or sovereignty of which I may be at the time of admission a citizen or subject; I am not an anarchist; I am not a polygamist nor a believer in the practice of polygamy; and it is my intention in good faith to become a citizen of the United States of America and to reside permanently therein