estraviz.org/insultar este dia procurava umha acepçom antiga que era falar a alguém para provocar-lhe raiva cara um 3º,
"Fulano insultou em Mengano" (para q M fosse vs 1 3ª persoa)
soa-vos?
Estraviz tem "(2) Convidar" q nom sei ao q corresponde
O significado q digo é mui similar ao (2) de https://estraviz.org/encirrar
"Fulano encirrou em Mengano para que lhe pugesse um preito a Zutano"
(esta última palavra, apesar de que infelizmente em geral nom sesseamos como xs nossxs velhxs, pronunciamo-la /ensirrar/)

Santa María de Monfero en su documentación (1088-1300)

... é o número (XVI) monográfico da revista Nalgures da AEHG, dedicado ao trabalho dumha vida: 680 páginas coa paixom investigadora do erudito corunhês José Luis Sangil (1938-2016) e coa contribuiçom de María Josefa Sanz e Manuel Vidán.

Atençom xs interessadxs em História. Tamém quem tiver interesse no galego medieval.

Se nom erro o documento mais antigo em galego transcrito no volume é este do ano 1177:

<cite>Santa María de Monfero en su documentación (1088-1300)</cite>

A publicaçom recolhe muitos outros, de 1257 e posteriores, nos que podemos ler escritas e fórmulas como Et defendo firmemente que nenguu non seia ousado de mina parte nen doutra que esta doason posa embargar que eu dou a isse moesteiro devandicto.

Trabalhei um ano informaticamente cos índices do Mosteiro de Monte de Ramo e ver este trabalho impressiona. Parabéns a todxs xs implicadxs!


OK, Google, but you are in the verças.
Boíssima esta explicaçom de P. Mendes a T. Mendonça via Priberam:

- Pergunta: (...) Qual é a forma correta: "para Carlos não lhe perturbava a existência, ou mesmo a necessidade dos movimentos da vanguarda" ou "para Carlos não o perturbava a existência, ou mesmo a necessidade dos movimentos da vanguarda"?

- Resposta: (...) trata-se de informação lexical (...) e para a qual não há regras fixas. (...)

(...) depende [de] (...) se o verbo selecciona um objecto directo (ex.:
comeu a sopa = comeu-a) ou um objecto indirecto (ex.: respondeu ao professor = respondeu-lhe) (...)

O verbo
perturbar, quando usado como transitivo, apenas selecciona objectos directos não introduzidos por preposição (ex.: a discussão perturbou a mulher; a existência perturbava Carlos), pelo que deverá apenas ser usado com pronomes clíticos de objecto directo (ex.: a discussão perturbou-a; a existência perturbava-o) e não com pronomes clíticos de objecto indirecto.

Assim sendo, das duas frases que refere, a frase “para Carlos, não o perturbava a existência, ou mesmo a necessidade dos movimentos da vanguarda” pode ser considerada mais correcta, uma vez que respeita a regência do verbo perturbar como transitivo directo.(...)



Nom queiramos o leísmo reinante/tolerado no castelhano (*le mató) para o galego (matou-no)

(Le mató ¿qué? ¿le mató el perro?)

*exemplos em El País

Máis información

O que se aprende lendo castelhano antigo

O que se aprende lendo castelhano antigo
...manque de leadership sur le plan national, l’écologie n’est plus un gadget

Que em francês nom tenham palavra para liderado é bem triste, mas o de gadget já é paradoxal, mais outra palavra de ida e volta, já que poderia vir do próprio francês:

Se no 81 estavas na escola da Picota-Maçaricos mando-che um abraço na nuvem. Encontrei lista de 13 amigxs e só identifico 3, o tempo nom perdoa.

Daquela inda díziamos Dominco(s). O que tal se perdeu na fala.

(Cumprimentos a quem figera hai tempo algo como isto:)

Já valeu a pena ver filme rançote em brasileiro para aprender outra palavra: focinheira.
O que vai ser, pois a própria palavra o di, o que dizemos boçal.
A minha avó centenária dizia por cousas de pouco mérito que nom valiam um adármio, variaçom de adarme, equivalente a 2 gramas.
Adarme pode significar tamém calibre de arma, o que em espanhol se pode dizer simplesmente como calibre, que pola sua vez tem a forma antiga cálibo e umha etimologia espetacular:


  1. grego bizantino: καλόπους / kalópous (=forma, como a dos sapatos)
  2. persa meio: kālbod
  3. árabe clásico: qālab / qālib
  4. árabe hispánico: qálib


O que as palavras viajam!
Anos atrás Google Translate era espetacular para o estado da arte na altura. Ultimamente é surpreendente a qualidade péssima que lhe vejo quando a provo.

Outra cousa, já sei que o propósito dos tradutores é o tratamento de linguagem construída, nom palavras isoladas mas mesmo assim sempre me surpreende q nom diferenciem na saída

O termo é igual na língua destino
em contraste com
Nom o dei traduzido para a língua destino



WordReference tampouco conhece eivado, ainda bem que sempre está o Priberam.
De quando em vez o português dá-che estas surpresas. Amadora BD escrevia hoje A série Edibar, do autor brasileiro Lúcio Oliveira, chamou a atenção de pequenos e graúdos.
Que palavra tam da nossa casa, pronunciada ghraudo, para se referir por exemplo a um rapaz que medrou muito desde a última vez que se viu: Tá bem graúdo, forte, crescido, que ganhou volume.
Umha foto ilustrava este dia umha notícia, nela via-se o vidro dumha cafetaria com um cartaz que dizia T'é capi ? Stá sü de doss !. O pé da foto só dizia que era umha rua em Itália mas obviamente nom se tratava de italiano, tampouco nom me parecia veneto. Perguntei ao amigo de Caorle e resulta que é lombardo; do texto el só dá entendido a primeira frase: entendes?
In Galician we don't say (s)he really likes you but enches-lhe o olho and I think that's beautiful.
No imprescindível Priberam:



Contudo, para o uso que nós lhe damos (nom sei se na Lusofonia é o caso) hai um aspeto subtil adicional que o DRAE cobre melhor:



Google nom a dá traduzido p. ex. de espanhol a português, Deepl fai-no melhor.
O DRAG admite miga, monda, montón, chatarra, Estraviz as três primeiras. Argh.

Farangulha ou miolo (segundo o caso, ainda que nós na casa ao primeiro tamém lhe chamamos miaga), tona, monte, ferralha. Assim sim.
Os meus nom dim "se sale", dim "bota por fora" and I think that's beautiful.

- Vistes a festa que tá preparando?
- Vim, ho, bota por fora!