Spider-Gwen: clássico instantáneo

Nom lembro um desenho de indumentária superheróica na última década que me parecesse tam logrado como o de Robbi Rodriguez para Spider-Gwen.

Spider-Gwen: clássico instantáneo

I'm not sure what exactly makes [it] work. It could be the color choices, it could be the minimalism or it could just be that hoodie. ... Everyone has a favorite aspect and enjoys how the rest works with it.
- Robbi Rodriguez

In my opinion, Robbi just nailed that deceptive mix of simplicity and complexity. There’s a feeling of timelessness to it
- Jason Latour

Rodriguez é um monstro nas páginas de BD tamém. Tem um dinamismo tremendo, influenciado polo manga, mas sem ser decalque del:

Spider-Gwen: clássico instantáneo

E, por se fosse pouco, vam as cosplayers como Megan Starbuxx e levam a roupa ao mundo real dum jeito total:

Spider-Gwen: clássico instantáneo

O desenho original do personagem tamém tem presença num dos melhores filmes animados em sair dos EUA ultimamente:



E ainda o voltam a distribuir? Espero que o re-imprimissem porque foi umha das piores edições de manga que tenha visto em muitos anos.

Chamai-me mal pensado mas vim a caixa e o primeiro que pensei foi "exemplares nom vendidos".

Em mercados como o italiano por exemplo umha ediçom péssima como esta é simplesmente impensável.

Fala Jaime Hernandez, para mim como se falasse Deus.



Levo 55 minutos vendo esta entrevista e assimilando cada palavra do mestre. Glória bendita. Adorar Love & Rockets e ver tanta clave aberta é muito.

Ala, alá fórom duas horas. Nom as teria aguentado se fosse um filme ou umha série.


#risos #sobremesa #ElPrat #Eyjafjallajokull #tráfegoAéreo


Que bem nos tratam sempre em Metrópolis Cómics, desta vez apresentando o n.º 2 de Amair. Agradecidos aos amigos que se passárom (Diego, nom falhes à cita o ano que vem co n.º 3!) e desejando fazer umha visita conjunta a Ferrol que fica comprometida para, se pode ser, este mesmo outono.



Sempre esqueço fazer fotos das dedicatórias que melhor nos saem, se tens deste número ou do anterior manda-no-las por favor :)



Falando de sistemas culturais, viçoso o que mantém umha publicaçom assim para a rapazada. alguns autores excelentes e 100 páginas no especial de verão. Zorglub (Munuera), Ralph Azham (Trondheim), Le Royaume de Blanche-Fleur (Feroumont), Imbattable (Jousselin)... e por suposto Spirou, entendo que L'espoir malgré tout, de Émile Bravo, que é glória bendita. Aliás, mais autores bons que nom conhecia, como Burniat, Dab's, o próprio Feroumont, Jouvray, Le Boucher, Mo CDM, Thibaut-Jouvray, ... E por último, o preço. Adivinhais?
2,90 euros. Insisto, cem páginas.
Como nom se vai comprar, é para diretamente se subscrever.