BD bárbara atrás d capa c/desenho gráfico delituoso (atentado visual frequente em Planeta-deAgostini Comics)

Ishinomori era-vos "moito",q diriam na Laracha

Além d jogar c/múltiples recursos literários, a nível narrativo-visual e compositivo Ishinomori tinha pranchas de antologia.

Estou para acabar a leitura do primeiro volume desta obra mestra, e estes dias deu-me por pensar que sempre me parecera bastante parvo esse cliché de “Que livro levarias para uma ilha deserta?”. Porém, depois de ter descoberto isto casualmente, sem antes saber nada -além da existência daqueles velhos desenhos televisivos-, dá-me que essa pergunta ainda vos vai ter uma resposta, e talvez só uma, acertada…