A sobriedade formal precisa; as palavras justas, poucas, suficientes; os silêncios e o desenho sonoro até essa cena final que encolhe o coraçom. Que cousa mais bem escrita, dirigida, interpretada.
No meio de tanto barulho audiovisual histriónico, supérfluo, vão, perfeitamente inútil, esta jóia.