O estranho sistema de acentuaçom verbal da RAG

... fai que tenha que recorrer ao opentrad (obrigado) para repassar/confirmar que:

a [ pÚnhamos ].pt corresponde [ puñamos ].gal

(isto lembrava-o)

mas a [ pÚnhamo-los ].pt corresponde [ puñÁmolos (*) ].gal

Nós nom pronunciamos como (*) e fai-se raro o acento aí.

Analogamente, som:

baldeirabamos ; baldeirabÁmolas <- como dita a RAG

baldeirÁvamos ; baldeirÁvamo-las <- como pronunciamos nós

(NB: no léxico português internacional é comum esvaziar; DRAG e Estraviz recolhem a forma galega baleirar e adicionalmente a variante que usamos nós, baldeirar; o Priberam, nem com b nem com v)

Realmente é umha estratégia péssima combinar verbo e pronome átono sem os separar, como no português, mediante o traço.

Na escrita lusa encontramos consistência na acentuaçom gráfica (púnhamos, púnhamo-los) enquanto a da RAG varia por mor do número de sílabas que consideram da mesma palavra (puñamos; puñámolos).