De Naoki Urasawa li “Monster” e “Historias cortas” inteiros assim como partes de “20th Century Boys”, “Pluto” e “Billy Bat”, todos nas edições de Planeta-DeAgostini. Pois resulta que, do que levo lido, com o que melhor o tenho passado é com, supostamente, a menor das suas obras (fora de “Pineapple Army”): “Cinturó Negre”, na versão da extinta Glénat España. Pura comédia de enredo ao estilo clássico da BD japonesa.
Incidentalmente, que fácil é ler catalão mesmo sem o ter estudado nunca. Dai graças por não serdes monolíngues nativ@s… que há tant@s que não têm a nossa fortuna…