Jason é um autor súper agradecido de ler coas suas histórias de animais antropomórficos "mais humanos que os humanos", personagens hieráticos que tentam sobreviver fisica e animicamente em relatos entre o dramático e o ridículo (ainda que o humor é sempre contido). Até quando lhe bota muito papo nos desenlaces argumentais (p. ex. botando mão do surrealismo) o autor norueguês normalmente cai de pé, como os gatos, e deixamo-nos convencer.

Estes dous volumes de histórias breves som entretidos, nom se contam entre o melhor da sua produçom mas polo menos nom som tam péssimos como a sua BD do Caminho de Santiago (que passa cos comics de El Camino? som todos igual de horríveis?)

Menos mal que não o comprei porque com esse final ia ficar com cara de parvo… Se alguém entendeu a segunda metade agradeceria que ma explicasse.